Problemas para conectar ? Limpe os cookies
No Google Chrome use Control+Shif+Del, selecione Cookies e outros dados.. e clique Limpar dados de navegação

---
Caso queira limpar apenas os cookies do xreonline no Chrome digite chrome://settings/cookies na barra de endereço, em pesquisar cookies digite xreonline e apague os resultados que aparecer.

Ser-tão do Leandro

Forum destinado a apresentação dos participantes e para apresentar sua moto. Diga de onde é qual sua moto, participe.
Avatar do usuário
Leandro Gonçalves
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 90
Registrado em: 18 Nov 2015 15:16
Cidade: Santa Rita do Sapucaí - MG
Moto: GS Sertão

Re: Ser-tão do Leandro

Mensagem por Leandro Gonçalves » 16 Out 2017 11:10

Nilson, tá faceira que só! Esse FDS rodamos cerca de 1000 prazerosos quilômetros, entre serra mineira, paulista e também em parte do litoral do RJ.

Vê só:
Imagem
- na descida para o litoral, perto da divisa SP-RJ, trecho da Estrada Real pavimentada.

- na BR-101, quase em Angra dos Reis.
Imagem

Quanto a avaliação, concordo. Vou citar algumas partes e comentar sobre:
"começaram a utilizar também os pneus Metzeler Tourance"
a minha veio calçada com estes pneus, gostei deles até agora.

"quando a luz da reserva se acende um novo hodômetro aparece, acompanhado de um símbolo de uma bomba de combustível e se inicia uma contagem de quantos quilômetros você está andando dentro dos 4 litros da reserva."
- bem didático esse recurso. Fica fácil estimar quanto ainda dá pra rodar, sem muitos cálculos.

"Como todo monocilíndrico, o motor da Sertão vibra um pouco em determinada rotação, porém não é nada que incomode muito. Ele se mostrou versátil para rápidas saídas na cidade e ultrapassagens seguras na estrada. Seu torque já aparece em baixas rotações e com o vigor do motor aliado a um bom escalonamento de marchas (apenas cinco), consegue-se levar a Sertão até a marca dos 170 km/h."
- a vibração é bem menor que o da XRE.

" A inversão do botão de buzina com o de acionamento do pisca nos faz confundir os comandos e a toda hora que queria buzinar, acionava o pisca. Questão de costume. "
- confesso que errei a mão nos primeiros dias. A seta fica abaixo da buzina, ai já viu! Ah, uma buzinada ao sinalizar não faz mal pra ninguém. kkkkkkk
Sofre mais quem tem mão e dedos pequenos.

" ela já vem de série com ABS desconectável, aquecimento de manoplas, regulagem de distância no manete de embreagem, protetores de mão e com tomada 12 volts. O acionamento do aquecimento de manoplas, muito útil em dias frio e nas manhãs paulistanas, fica situado do lado esquerdo do painel com dois níveis de temperatura, ao lado do botão que aciona o pisca alerta. "
- recursos adicionais úteis, que caem como luva dependendo do uso, do lugar e do dia. Não fazem muita falta, mas que bom que tem.

" A ergonomia da Sertão é a mesma de sua irmã mais velha, com um bom posicionamento de pernas e braços e distância entre assento, pedaleira e guidão"
A patroa diz que o banco é mais confortável, mais comprido e mais largo que o da XRE, penso o mesmo. Embora seja item de proteção (que incomodam no calor), na XRE poucas foram as vezes que rodei 300 KM sem cinta abdominal, me doía as costas duma forma (...), e na Sertão eu não vi necessidade até agora - isso leva a crer que fico mais confortável nela.

A bolha original poderia ser um pouco maior e mais larga, ou talvez até ajustável para uso em rodovia, porque na hora que você vira o punho o vento incomoda um pouco acima dos 120 km/h. É mimo que cairia bem, mas que também não faz muita falta.

"Atrás do banco existe um pequeno compartimento que é aberto com a mesma chave utilizada na ignição."
- neste compartimento está uma pequena alavanca que destrava o banco. Embora eu seja leigo de mecânica, penso ser útil para manutenções. Na XRE era um saco ter de desparafusar o banco embaixo, ainda mais quando a moto estava (bem) suja. Esse compartimento faz as vias de porta-trecos também.

"A linha G650 GS é a única que ainda utiliza bateria que requer manutenção e é bom não se esquecer de verificar o nível da solução a cada 5.000 km, pois a bateria fica em um ponto bem quente, recebendo muito calor do motor."
- antes da troca fiquei encucado com essa questão. Fui ler alguns fóruns e fiquei ainda mais receoso - os mais leigos (que eu) são foda ao expressarem opiniões, povo condenada a bateria sem dó. Depois conversando com quem entende cheguei a conclusão de que repor o fluído é bem mais viável ($) do que trocar uma bateria ao ano, que era o meu caso com XRE de alarme instalado; morri em três baterias, zerava do nada e não tinha tranco que ressuscitasse a bateria. Inclusive, a minha Sertão é 2012 e ainda está com a bateria original. É só ficar de olho no fluído e repor quando necessário, sem grilo.

Essa questão, inclusive, me incentivou a ter mais intimidade com a moto, que antes basicamente se limitava em andar, por gasol, lubrificar relação e levar em oficina para trocar pneus, pastilhas, óleos, etc. Penso em melhorar isso e comprar mais ferramentas para fazer o básico em casa.

"Em frenagens mais fortes, onde o ABS entra em funcionamento, sentimos o pedal de freio trepidar e dependendo do piso e da força de acionamento, além da oscilação escuta-se um barulho que talvez os novatos em motos com ABS possam estranhar."
- achei bem estranho isso nos primeiros dias. Moro na parte alta da cidade, desço um baita morro pra sair de casa, então uso os freios regularmente e fiquei encucado nos dois primeiros dias, mas depois fui ler em fórum e descobri que era realmente normal.

"Engrenamos a primeira marcha e sentimos um pequeno tranco e certo barulho vindo da transmissão."
- pensa num barulho chato. Mas, é característica da moto. Dizem que com o tempo a gente acostuma (mentira).

"Os freios são muito bem dimensionados, e devido à altura e maior curso, a sentimos mergulhar um pouco quando solicitamos mais do freio dianteiro. Neste momento a traseira levanta e como o peso foi transferido para frente da moto, logo sentimos o ABS da roda traseira entrando em ação."
- comentei algo sobre isto neste tóxico. A diferença é enorme em relação a XRE.

"No fora de estrada, mesmo nas situações mais difíceis, sentimos a robustez do conjunto (chassi – suspensões) e a boa maneabilidade e equilíbrio da Sertão."
- não peguei nenhum trecho brabo ainda. Sinto que a dirigibilidade dela em relação a XRE é similar.

"Andar na terra com a Sertão vira pura diversão.
- CONCORDO!!!!
O verdadeiro veículo que conduzimos é um veículo chamado ‘nós mesmos’ - Robert M. Pirsig

Avatar do usuário
nilsonfilho
Amador
Amador
Mensagens: 493
Registrado em: 28 Mar 2015 21:33
Cidade: Caucaia-Ce
Moto: honda xre 300 flex 2013 fosca

Re: Ser-tão do Leandro

Mensagem por nilsonfilho » 16 Out 2017 19:28

Caramba!

Muuuito muito show as informações Leandro! Valeu por dedicar um tempo pra ler o teste e responder aqui no tópico.

Rolezinho de mil km... O relacionamento ta sério eihn?



Vlw

Avatar do usuário
Aragão Neto
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 154
Registrado em: 01 Dez 2013 10:16
Cidade: Sobral-CE
Moto: XRE300 azul

Re: Ser-tão do Leandro

Mensagem por Aragão Neto » 29 Out 2017 23:33

Rapaz, parabéns pelo seu relato, em muitos pontos lidos tirei muitas dúvidas, poxa ainda chego nela, vivo olhando sites de venda de motos e sempre procuro uma que é a G 650, Nilsão acho que vai rolar casamento mesmo do Leandro, seremos informados com brevidade.

Valeu Leandro, abraços e curta muitas paisagens como as que você postou. abraço

Responder