Problemas para conectar ? Limpe os cookies
No Google Chrome use Control+Shif+Del, selecione Cookies e outros dados.. e clique Limpar dados de navegação

---
Caso queira limpar apenas os cookies do xreonline no Chrome digite chrome://settings/cookies na barra de endereço, em pesquisar cookies digite xreonline e apague os resultados que aparecer.

Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Fórum destinado a relatos de passeios realizados pela galera, com fotos, vídeos e dicas de viagens, participe
Avatar do usuário
L. Rossa
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 66
Registrado em: 23 Jan 2016 20:52
Cidade: Curitiba
Moto: XRE-A 2012

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama-Chuí em 30 dias [REALIZADO]

Mensagem por L. Rossa » 20 Ago 2018 12:22

Gustavo XRE MG escreveu:
16 Ago 2018 15:19
Bom dia, Leandro
Muito interessante seus relatos. Estou planejando uma viagem parecida e queria falar com você. Meu face é Gustavo Damasio, não encontrei o seu...
Abraço!
Show de bola. Diz aí a dúvida. Vai que tem mais gente pensando em fazer o mesmo?

Se quiser, estou no Facebook também com a página @DinomadeAventura - https://www.facebook.com/DinomadeAventura

Avatar do usuário
L. Rossa
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 66
Registrado em: 23 Jan 2016 20:52
Cidade: Curitiba
Moto: XRE-A 2012

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por L. Rossa » 21 Ago 2018 08:46

E temos vídeo novo xerolenes!

Dia 9 Salar de Uyuni

https://www.youtube.com/watch?v=PiTl07nYnec

Fez mto frio à noite em Uyuni. Deve ter sido uns 2 graus. Sensação de menos. O hostel tinha cobertores tão pesados que eu não conseguia mexê-los.

Parti pro salar as 8h30. 20km de Uyuni. Cheguei em Colchani. Avancei pra dentro da cidade até chegar no salar. Havia água. Muito água. Perguntei para um motorista de um 4wd e ele falou que estava saindo e eu podia segui-lo. O fiz e passei pela água. Estava funda em alguns pontos. Uns 40cm. Tinha que acelerar e não parar lá se não cairia. O chão ainda era de sal e água, como se fosse areia e agua. Terrível de pilotar. Segui, segui, botei os pés no chão diversas vezes pra não derrubar a moto, mesmo andando a 5/10. Que sufoco! Avançava e parava avançava e parava. Depois de um tanto de esforço, cheguei a parte com apenas sal onde o motorista me indicou a direção. Eu tinha o ponto do monumento Dakar no GPS. Mas perguntar pra quem sabe não faria mal.

Avancei com cautela e tomei segurança. Chegava a 40, 50. Chegue a umas dunas de sal onde tirei algumas fotos. Segui pro monumento.

Mais fotos lá. Perguntei sobre a Isla Hincahuasi. Ficava a 60km do monumento. No meio do deserto. Ja que estava lá, pq não?

Avancei seguindo o ponto do GPS. Montei na moto como piloto de enduro, de pé, e tomei velocidade. Não queria levar 1h pra chegar. 60, 70, 80. Tudo indo como planejado até que aparece um Ojo de Salar, que são trechos onde o sal eh mais fofo, tipo um areiao.

A roda traseira serpenteou. Eu tentei controlar e não consegui. Cai. O lado direito da moto caiu sobre meu pé direito. Rapidamente o removi. Desliguei a moto. Que sufoco! Ainda tinha que levantar a moto, que se pareceu muito pesada a 3650m de altitude.

Mexi o pé. Estava funcionando apesar da dor. A moto também. Só deslocou o espelho direito.

Agora um pouco tenso, segui com mais cautela. A 30/40 por hora. Em trechos de areia acelerava em puxadas constantes. Tipo acelera solta acelera solta, afim de ter mais tração. Deu certo. Uns 20 minutos depois olhei no gps e eu tinha andado só 1/5 do caminho. Nesse ritmo ia levar umas duas horas pra ir e duas pra voltar, mais o trecho com água profunda.

Por todo o salar havia um pouco de Água. Alguns lugares tinha mt rastros de carro e eu os seguia. Mais seguro que seguir apenas p GPS.

Desisti de ir a Isla e tirei algumas fotos no reflexo. Na volta fiz outro caminho da ida e passei por trechos de locomoção difícil. Com uns 3 a 15 cm de água e aquele sal que parecia areia. Muito cansativo. Na última parte com água profundas observei o caminho dos carros que estavam indo e fiz o mesmo. Com receio. Mas deu certo. Enfim consegui sair do salar!

O próximo passo era ir até Uyuni 20km e limpar a moto. Que no motor tinha uns 5cm de sal já duro. Detalhe que o sal é extremamente corrosivo. Chegando lá a dueña disse que moto era self service, mas a mangueira tinha muito pressão e pedi pra baixar. Ela disse que não dava e limpou a moto ela mesma. Ainda tomei um banho de mangueira pq estava com a roupa de chuva, toda cheia de sal.

Voltei ao hostel com botas e meias molhadas. E cheias de sal. Tirei o sal dos pés e da roupas. Deixei secando. Almocei era 15h30. Meu pé dói um pouco pra pisar. Não sei se fico mais um dia em Uyuni ou sigo pra Alota e vou Amanhã cedo pra Laguna Colorada.

18:32

Resolvi ficar mais um dia aqui. Meu pé doi e não quero viajar assim.

Agora em Uyuni tem banda tocando. Não sei se eh algum evento aqui da Bolívia ou alguma coisa com semana Santa.

- -

Comentário PÓS TRIP:
O Salar de Uyuni é um lugar extremamente agressivo para veículos pelo sal e perigoso para pessoas por ser um deserto. É mais seguro ir com botas cano alto (dessas galocha de chuva mesmo, compra lá em Uyuni), porque você vai pisar no molhado, e, principalmente, com companhia!

Eu fui um imprudente pra caramba ao achar que dominava o lugar e abusei da sorte. Paguei um preço que por sorte não foi mais alto.

Se eu voltaria? Com toda a certeza. Voltaria no período seco, onde não há água no salar (no inverno), e voltaria no período chuvoso em outra hora do dia. No vídeo eu estava com o sol a pino (entrei umas 10h e saí às 14h), então o efeito de espelho acabou não ficou tão evidente

Avatar do usuário
lukasbrasil
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 110
Registrado em: 29 Jan 2015 15:09
Cidade: Brasília
Moto: XRE 300 - 2011

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por lukasbrasil » 21 Ago 2018 14:08

Mermão, baita coragem!!!! Ainda bem que deu tudo certo... show de bola!!!1
Lucas Brasil
Honda XRE 300 2011/2011 (Atual)
Honda PCX DLX 2014/2015
Suzuki Burgman I 2011/2012
Honda CBR250R 2012
Honda XRE 300 2010/2011
Honda CB600F Hornet 2007
Kasinski Comet GT250R 2011
Yamaha Fazer YS250 2008

Gustavo XRE MG
Fraldinha
Fraldinha
Mensagens: 5
Registrado em: 16 Ago 2018 13:57
Cidade: Itajubá
Moto: XRE 300 Rally

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por Gustavo XRE MG » 25 Ago 2018 17:15

Boa tarde, Leandro
Muito bons seus relatos. Parabéns pela viagem.
Como disse, estou planejando uma viagem parecida (sem Uyuni) em março/19.
Porquê você levou GPS em vez de usar o próprio celular? Aplicativos de GPS no celular como o Here que permitem baixar mapa do país inteiro não funcionam bem (talvez até melhor) do que GPS?
Em um vídeo seu está escrito que GPS não funciona nas cordilheiras. Poderia detalhar quais os problemas que houveram?
Pelo que vi você dormiu em Corrientes. Você recomenda Corrientes ou Resistência?

Abraço e parabéns!!

Avatar do usuário
L. Rossa
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 66
Registrado em: 23 Jan 2016 20:52
Cidade: Curitiba
Moto: XRE-A 2012

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por L. Rossa » 30 Ago 2018 11:56

Gustavo XRE MG escreveu:
25 Ago 2018 17:15
Boa tarde, Leandro
Muito bons seus relatos. Parabéns pela viagem.
Como disse, estou planejando uma viagem parecida (sem Uyuni) em março/19.
Porquê você levou GPS em vez de usar o próprio celular? Aplicativos de GPS no celular como o Here que permitem baixar mapa do país inteiro não funcionam bem (talvez até melhor) do que GPS?
Em um vídeo seu está escrito que GPS não funciona nas cordilheiras. Poderia detalhar quais os problemas que houveram?
Pelo que vi você dormiu em Corrientes. Você recomenda Corrientes ou Resistência?

Abraço e parabéns!!
Bom dia bro! Não lembro desse comentário a respeito do GPS. Eu levei o GPS principalmente porque ele permitia incorporar rotas criadas por outras pessoas. Utilizei essas rotas em Uyuni, pra ter a referência do monumento Dakar e da Isla del Pescado, e também para atravessar da Bolívia ao Atacama pela Reserva Eduardo Avaroa.

Se o celular funciona e faz isso também? Perfeitamente. Mas tem que levar em consideração que o celular também serve para outras coisas (fotos, comunicação, calculadora, conversor de moedas). Então tem que ver se compensa "arriscar" o aparelho às intempéries do tempo. Pra dar um exemplo: na manhã do dia que dormi na reserva da Bolívia, deixei o cel num tripé pra fazer timelapse do sol e o celular desligou sozinho por causa do frio. Quando liguei ele acusava 8% de bateria (estava em 100% antes). Nesse cenário eu já não confiaria no celular pra me servir de referência de direção.

Não conheço esse app Here, mas o Maps.Me oferece mapas offline e me salvou algumas vezes.

A respeito de Corrientes vs Resistencia, o que posso dizer é que Corrientes é ruim de estacionar. As ruas são estreitas e você pode ser multado por estar com a moto em lugar irregular. Fiquei no hostel Bienvenida Golondrina, e estacionei em um estacionamento privado prox do local. Na próxima vou tentar ir pra Resistencia.

Espero que tenha ajudado.

Anexo uma imagem das rotas da reserva da Bolívia. Sem postos por perto se perder não é uma opção.

Imagem

Avatar do usuário
nelsonbad32
Kamen Rider
Kamen Rider
Mensagens: 1863
Registrado em: 13 Jun 2011 15:35
Cidade: Ibiúna-SP
Moto: Suzuki Bandit 1250S 2009 Cinza

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por nelsonbad32 » 31 Ago 2018 08:39

Ótimas respostas.

GPS próprio para motos são a prova d´água e resistentes a vibração e impactos, já celulares são mais sensíveis.

Para encontrar um hotel dentro das cidades são válidos, mas para se guiar no off road, precisa ser GPS de boa qualidade.
ENX:
2011 - Chapada Diamantina/BA / 2012 - Conceição da Barra/ES / 2013 - Pirenópolis/GO
2014 - Ibiúna/SP / 2015 - Florianópolis/SC / 2016 - Serra da Canastra/MG - Ô fui!
2017 - Jaciara/MT - Ô vô!... e Ushuaia tamém. :-)

Avatar do usuário
L. Rossa
Iniciante
Iniciante
Mensagens: 66
Registrado em: 23 Jan 2016 20:52
Cidade: Curitiba
Moto: XRE-A 2012

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por L. Rossa » 09 Set 2018 14:28

Dia 10 de molho - Alota

Na noite anterior Estava mancando e com o pé doendo. Achei que podia inchar a parte onde a moto pegou. Na farmácia ao lado do hostel comprei diclofenaco e nimesulida anti-inflamatório. Aproveitei pra comprar água e comer na rua.

Já de manhã continuei com a medicação e conversei com um grupo português que estavam indo ao salar. Uma mulher do grupo, depois de ouvir minha história, ofereceu uma fita dessas de diminuir lesões e ajudou a aplicar.

Agora eh 13:49 e eu não fiz nada. Vou sair do hostel, encher tanque, galão e mais uma per 2l por segurança. Amanhã acordo cedo para ir a laguna colorada. Uns 150km de rotas no deserto. O maior desafio dessa trip até então.


.
.

https://www.youtube.com/watch?v=BYEs_gmClPo

.
.



21:38

Cheguei em Alota. Na saída de Uyuni enchi galão de 5l e pet de 2l, mais o tanque. Segui vendo paisagens desérticas, com tudo muito longe. A estrada de chão era dura e dava pra acelerar a 100/110. Conforme eu ia chegando San Cristobal, ultima cidade com posto, as montanhas ia ficando mais perto. Abasteci de novo e segui.

Ao longe dava pra ver que uma tempestade estava se Armando. E como até San Cristobal meu gps não tinha rota traçada eu não sabia se iria na direção da chuva, então coloquei roupa de chuva.

As paisagens continuavam. Do lado esquerdo montanhas, um lago enorme, a tempestade ao fundo. do lado direito deserto e montanha e céu azul entre nuvens.

A estrada me levou pro lado claro e eu já não via mais nuvens escuras na minha frente.

Em algum momento do trecho teve um tipo de exército com roupa camuflada de deserto. Um dos 4 segurando um rifle. Sinalizaram passagem pra mim e pararam o carro boliviano que vinha atrás.

Cheguei em Alota por volta de 17:30. Vi uma placa na rua falando em hospedagem e não pensei duas vezes.

O quarto é simples. Não tem nem tomada. 40bob. O banho não estava quente e eu não fui atrás da dona para tentar resolver. Num lugar simples assim eu não espero muita coisa. Tomei um banho só molhando o que importava pra não passar frio. O jantar eu tive que ir em outro lugar. Ainda tive de explicar que foi recomendação da mulher do outro alojamento. Consegui entrar, e na sala havia varios bolivianos aparentemente trabalhadores de lá. Havia água quente e leite e café em pó. Na Bolívia não vi garrafa de café. Leite leite também foi raro. O jantar veio e, de novo, sem expectativas altas: uma batata, arroz, salada e dois ovos fritos.

Retornei ao alojamento e fiquei vendo a lua cheia e as estrelas. Eram muuuitas. O céu que antes tinha nuvem abriu de noite. Foi sensacional.

Meu galão de combustível não está 100% vedado. Puxei ele pra dentro do quarto e sinto o cheiro de gasolina evaporando. Vale ressaltar também que o clima é muito seco aqui. Manteiga de cacau é obrigatório. As narinas secam e respirar fica difícil. Estou deixando uma garrafa de água do lado da cama para ver se me ajuda a dormir.

Agora já está tudo arrumado e amanhã acordo as 5h pra sair às 6h30 mais ou menos. Além da gasolina também comprei 4 litros de água.

Avatar do usuário
ale.adamski
Profissional
Profissional
Mensagens: 605
Registrado em: 18 Set 2015 10:14
Cidade: Santa Rosa/RS
Moto: Ténéré 660 2012

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por ale.adamski » 10 Set 2018 08:35

Acompanhando,
legal demais os relatos.
"Aproveite cada minuto, porque o tempo não volta. O que volta é a vontade de voltar no tempo."
Ténéré 660 2012 Amarelo Indianápolis.
Lo que teníamos en común: nuestra inquietud, nuestro espíritu soñador, el incansable amor por la ruta.

Avatar do usuário
maverickint
Fraldinha
Fraldinha
Mensagens: 40
Registrado em: 12 Ago 2018 20:30
Cidade: Natal/Fernando de Noronha
Moto: XRE 300 Ano 2015 S/ ABS

Re: Curitiba-Uyuni-Atacama em 20 dias [7.500 km - REALIZADO]

Mensagem por maverickint » 10 Set 2018 10:56

Parabéns L. Rossa
Muito legal, acompanhando a viajem.
FAN 125 Elétrica 2012 Preta - EX
Twister 2007 Vermelha - EX
Shadow 99/00 - EX
Tornado 2005 Preta - Atual

CB500 2003/2003 Preta - Atual

XRE 300 2015/2015 Vermelha - Atual

Vivendo e Aprendendo esse é o lema da vida...

Responder